Para conversar, desabafar e discutir
Quarta-feira, 14 de Abril de 2010

Por não serem queixinhas, por finalmente terem aprendido a resistir às provocações, por se preocuparem apenas em jogar futebol e marcar golos, pelas vitórias, pelo bom futebol, pelos estádios cheios por esse país fora e por mostrarem como o Sport Lisboa e Benfica é enorme. Num futebol português em decadência, com assistências inferiores a 1000 espectadores em alguns jogos, esta equipa tem sido a pedrada no charco. É pena que outros não percebam que só com bom futebol e bons espectáculos se pode revitalizar esta indústria que movimenta tantos milhões. É pena que haja quem prefira continuar a fazer queixinhas e reduzir um jogo a um lance, em vez de olhar para dentro para perceber porque estão a 26, repito, 26 pontos do líder. Aliás, é óbvio para todos que o sporting está mais perto do último classificado, que do primeiro por culpa única e exclusiva dos árbitros... Enfim, quem não se dá ao respeito, não pode ser respeitado.

 

Podemos não ser campeões, mas pelo menos este ano mostrámos que podemos ser diferentes e ainda assim jogar bom futebol e ganhar jogos, sem fruta, sem café com leite, sem provocações, sem agressões (dentro e fora de campo). Nos últimos 13 jogos para o campeonato o Benfica ganhou 12 e empatou um. Até ao momento, esta equipa tem apenas uma derrota em todo o campeonato.

 

Como dizia alguém ontem no final do jogo, "sim, hoje (ontem) fomos levados ao colo...pelo Aimar"...   

 

     
Fotos in www.sapo.pt
publicado por vml às 10:37
sinto-me:

Quinta-feira, 08 de Abril de 2010

No último fim de semana tive oportunidade de ficar a conhecer alguns locais muito interessantes, da zona centro de Portugal.

 

Em Alcanena descobri uma praia fluvial junto à nascente do rio Alviela, onde as águas límpidas convidavam a um mergulho, embora não estivesse calor suficiente para isso. Junto à praia existe um Centro de Ciência Viva, muito engraçado onde temos oportunidade de:

 

- Fazer uma viagem no tempo (dentro de uma "nave espacial") até ao passado da zona Serra D'Aire para ficar a conhecer melhor a forma como aquele local se formou e o que existe por baixo dos nossos pés (água, muita água);

- Ver um filme em 3D, sobre a forma como a meteorologia influencia o rio Alviela;

- Fazer uma "viagem" pelo mundo dos morcegos, que existem na zona da Serra D'Aire.

 

Tanto a praia como o Centro de Ciência Viva são locais muito interessantes e agradáveis, contudo acabei por descobri-los um pouco por acaso, porque dentro de Alcanena a única publicidade que existe são umas pequenas setas nas rotundas quando entramos na localidade. Positivo da situação: As setas estão todas no sítio e conseguimos chegar ao local sem problemas - tirando a má qualidade da estrada, que quase nos obriga a voltar para trás antes de chegarmos ao destino. De qualquer forma, persisti, cheguei até ao destino (são cerca de 7 km, desde o centro de Alcanena) e não me arrependi. Local bonito, agradável e que claramente convida a uma nova visita durante o Verão para aproveitar as chamativas águas do Alviela.

          

  

 

Em Vila Nova da Barquinha, fiquei a conhecer um parque ribeirinho que no futuro será um espectáculo. Agora é bom, mas as árvores (na sua maioria) ainda são pequeninas pelo que ainda não há muita sombra para os dias de calor do Ribatejo. Quando crescerem será sem dúvida um espaço magnífico. Muitos equipamentos fixos para as crianças e para os adultos e a possibilidade de alugar diversos veículos com 3 ou 4 rodas para pedalar pelo percurso que existe ao longo do parque e que também pode ser percorrido a pé. Existem zonas sem árvores que podem ser aproveitadas para jogos e zonas com árvores. Para finalizar um curso de água artificial (com direito a cascata e repuxos) completa um cenário muito agradável. Um local a visitar de novo, sem dúvida.

   

 
      

Fotos: Eu


Terça-feira, 16 de Março de 2010

 

Tive oportunidade de ir ver a exposição que a Joana Vasconcelos tem neste momento no CCB. E gostei. Tem algumas peças espantosas, mas tenho pena que os sapatos originais não estejam presentes. Só uma pequena réplica e só com um sapato. Mas no geral gostei bastante e creio que esta senhora tem algumas coisas positivas que merecem referência:

 

1 - Colocou os portugueses a falar da sua arte, mesmo os leigos que nada percebem do assunto (como eu). Foi engraçado ver as pessoas a discutir sobre qual seria o objectivo das várias peças.

 

2 - Vive e trabalha em Portugal (pelo menos por enquanto), ao contrário da maioria dos artistas nacionais reconhecidos internacionalmente. E esse facto não a impede de expôr as suas peças por esse mundo fora e de vendê-las por 500.000 €.

 

3 - Não sei se já recebeu ou recebe apoios/subsídios do estado, mas a verdade é que ainda não a ouvi reclamar ou dizer que se vai embora porque o estado português não apoia a "cultura" como devia.

 

Simplesmente continua a divulgar a cultura portuguesa, não só internacionalmente, mas também por cá, o que me parece igualmente importante. Utiliza coisas simples do dia a dia, como espanadores, tachos e talheres de plástico, para criar peças que em alguns casos representam áreas específicas da cultura portuguesa e noutros fazem uma crítica à vida actual.

 

Espero que continue por cá, a representar a cultura portuguesa e a fazer com os portugueses se interessem por algo mais que Fado, Futebol e Fátima (ah! e pela vida do Sócrates também nos interessamos muito ultimamente).

 

 

Nota: Fotos in http://www.joanavasconcelos.com/

 

publicado por vml às 17:10

Quinta-feira, 11 de Março de 2010

Estou um bocadinho cansada de carne e apetece-me experimentar umas coisas vegetarianas. Vai daí, resolvi misturar umas coisas e ver no que dava. Utilizei:

 

- Vegetais que comprei no Lidl e que são bastante saborosos (não sei o que tem o molho, mas é bom);

- Arroz branco;

- Migas de broa de milho e feijão frade.

 

A razão pela qual a receita não foi totalmente vegeteriana foi a broa de milho, ou melhor os bocadinhos de chouriço que a broa tinha.

 

Cozinhei tudo separado e depois juntei no prato. Gostei bastante e esta é certamente uma experiência a repetir.

publicado por vml às 20:20
tags:

Segunda-feira, 21 de Dezembro de 2009

 

publicado por vml às 17:20
sinto-me:
tags:

Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

Dois meses sem ginástica por causa, por causa de 2 sinais. Que seca...

publicado por vml às 11:23
sinto-me:

Domingo, 13 de Dezembro de 2009

Ferrero Rondnoir. Vem num embrulhinho castanho escuro e é muuuuiiiittttooooo bom. Para quem gosta de chocolate negro claro. O pior é que quanto mais se come, mais se gosta e mais viciante se torna...

publicado por vml às 22:08


Hoje é um daqueles dias em que não me apetece fazer nada a não ser dormir e eventualmente ler e ver televisão, mas sempre deitadita no sofá... Considerando que tenho o "The Lost Symbol" para começar a ler, talvez seja uma boa altura.

publicado por vml às 11:42
sinto-me:

Quinta-feira, 12 de Novembro de 2009

Na 3.ª feira à hora do jantar, primeiro a surpresa - Robert Enke morreu - depois o choque - Robert Enke suicidou-se caminhando de encontro a um comboio. Hoje o choque mantém-se e não dá sinais de diminuir. A vida foi em muitos aspectos madrasta para Robert Enke e a sua saída do Benfica (por vontade própria), infelizmente, coincidiu com o início dos problemas.  

 

Para além do profissionalismo e simpatia que lhe eram reconhecidos por adeptos, colegas, treinadores e dirigentes eram também conhecidas as suas atitudes altruístas quer com as pessoas, quer sobretudo com os animais. A vida nem sempre lhe respondeu da melhor forma, acabando mesmo por lhe levar a filha que com apenas dois anos faleceu, vítima de uma grave insuficiência cardíaca que nunca foi resolvida.

 

Até sempre, Robert. Espero que tenhas finalmente conseguido encontrar a paz que procuravas e que claramente não tinhas.

 

"Robert Enke esteve três temporadas no Benfica e quando o seu contrato estava a chegar ao fim foi muito claro com o clube e com os adeptos que sempre o estimaram. Não quis renovar e não se quis entregar nas mãos de nenhum empresário. Considerava-se, e bem, o dono da sua vida, jogava com a carta na mão e era livre de ir para onde quisesse sem dar troco a terceiros. No final da temporada de 2001/2002, quando o árbitro apitou para o fim do último jogo que faria no Estádio da Luz, Robert Enke antes de recolher à cabina resolveu despedir-se dos adeptos do Benfica e, sozinho, deu uma volta ao estádio aplaudindo e sendo aplaudido. Foi um momento bonito e raro de um jogador que, sendo dono da sua vida, se despediu com carinho de quem tanto gostou dele. Contente ele, contentes ficaram todos. Anteontem à noite, numa passagem de nível em Eilvese, nos subúrbios de Hannover, Robert Enke, o dono da sua vida, foi-se embora de vez. Triste, tão triste ele e todos tão tristes." Leonor Pinhão in ABola, 12.11.09
 

Que este caso, tão mediático, sirva para salvar outras vidas e para que finalmente a sociedade em geral reconheça a gravidade de uma doença que não se "vê", mas que pode matar. Infelizmente é mais fácil apelidar os doentes depressivos como fracos de espírito, deixando-os à sua sorte, do que tentar encontrar uma solução/cura para a doença.

 

A situação de Robert Enke, mostra que nem quando podemos "comprar" o melhor tratamento do mundo estamos livres de atingir o limite do abismo e dar o passo em frente. Se Enke apesar de tantas condições a seu favor não conseguiu encontrar a ajuda que necessitava, quão mais difícil não será a vida de todos aqueles que não podem sequer dar-se ao luxo de ter ajuda?

publicado por vml às 12:02
sinto-me:

Quarta-feira, 04 de Novembro de 2009

Descobri não há muito tempo as maravilhas do Facebook. Antes só usava o HI5. Cheguei até ao Facebook já não sei muito bem porquê. Só sei que decidi abrir uma conta. Daí até chegar aos JOGOS, foi um pequeno passo, porque logo os convites para ser agricultora, mafiosa, dona de café, residente de yoville, etc., etc., começaram a chegar.

 

Bom e o que há a dizer sobre os jogos do Facebook??? São absolutamente...VICIANTES. É que por mais que tentemos, não conseguimos esquecer-nos das culturas que morrem, dos bolos que estão no forno (segundo me dizem, porque ainda não sou pasteleira) e dos trabalhos novos que o nosso "eu mafioso" tem para fazer.

 

E atenção que não estamos a falar de miúdos... Estamos a falar de gente adulta (será mesmo???) que faz as contas, para ver se vai poder apanhar uma determinada cultura a uma certa hora daqui a 4 dias. Ou que quando vai de férias não planta nada para não se preocupar. É vê-los a tentar encontrar o melhor design para a quinta, a comprar decorações catitas, a adoptar animais, a preocupar-se com o facto de já não ter espaço para todas as coisas que gostaria de comprar, a ficar contentes com o facto de haver fábricas novas para colocar as vacas...

 

De facto, todos os jogos "grátis" e aplicações engraçadas que os amigos do Facebook tão amavelmente nos disponibilizam, mais não são do que a fórmula (simples) encontrada para manter as pessoas ligadas nesta rede social, o que naturalmente aumenta a visibilidade da PUBLICIDADE e, claro, eleva exponencialmente os ganhos do Mark (o fundador do Facebook, que diz que o objectivo desta rede social é apenas manter as pessoas em contacto). Porque nós, jamais deixaremos de ser a criança que se entusiasma com um brinquedo novo e para sempre seremos simples animais... de hábitos.

publicado por vml às 10:03
sinto-me: Agricultora


mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


últ. comentários
Mas depois da foto tirada já se pode abusar. Já nã...
Nao gosto de opinar sobre o que nao vi.Confio plen...
Tenho tido mais que fazer....
Já actualizavas o blog...:D
Há muitos anos atras ouvi uma frase que para sempr...
Obrigada pelas boas vindas.
Mtos parabéns! Já tou a ver que tb foste picada pe...
Faço minhas as palavras da "Mau-feitio" (desculpa ...
Obrigadinha pelas boas vindas. : )
Seja muito bem-vinda pois então.
arquivos
subscrever feeds